• Curta no Facebook
  • Instagram ícone social

 GALÁXIAS

    Para entendermos bem o que é uma galáxia, podemos usar a teoria dos conjuntos que é ensinada desde a Alfabetização até o  Ensino médio, vejamos:
    No início, o homem pensava que estava no centro do universo. Não demorou muito para descobrir que vivia na superfície de um pequeno planeta que gira em torno de uma estrela amarelada. Logo depois notou que ao redor dessa estrela giravam outros planetas formando uma comunidade chamada de Sistema solar, que é um conjunto de planetas girando em torno de um  Sol. A partir daí o Sol ficou sendo o rei do universo, o centro de tudo. Mas esse reinado durou pouco, o homem continuou a pesquisar e descobriu que a estrela Sol é apenas uma entre outras bilhões de estrelas,  pertencentes a um conjunto maior chamado de galáxia. Foi aí que os estudos avançaram e se descobriu que só na nossa galáxia, a Via-Láctea, existem mais de 200 bilhões de sois, e cada um desses sois, pode ter vários planetas girando ao seu redor. Com isso, podemos dizer que galáxia é um gigantesco conjunto de estrelas. O sistema Solar é apenas um pequeno conjunto formado por um sol e alguns planetas girando ao seu redor, e esse pequeno conjunto está dentro de outro conjunto maior chamado de galáxia. Já nos anos 1600 [Século XVII (17)], os astrônomos começaram a descobrir que a nossa galáxia é apenas uma entre outras bilhões de galáxias do universo.
   O nosso Sol com seus planetas girando ao seu redor, é apenas um pequeno pontinho situado a cerca de 27.000 anos-luz do centro da nossa galáxia.

Foto: NASA

Galáxia de Andrômeda, localizada na constelação de mesmo nome. É a galáxia vizinha da nossa Via-Láctea. Possui o dobro do tamanho da nossa e tem o dobro do número de estrelas. Está a 2,5 milhões de anos-luz de nós.

  A ilustração abaixo mostra nossa galáxia como se fosse vista de cima. Nota-se seus braços espirais e a localização do nosso Sistema Solar que se encontra a aproximadamente 27 mil anos luz do centro da galáxia.
  A Via Láctea é uma galáxia do tipo espiral barrada (SBb), tem um diâmetro de cerca de 100 mil anos luz e uma massa equivalente a quase dois trilhões de massas solares, sua idade é estimada em 13,6 bilhões de anos.

Ilustração: NASA

       Galáxias Elípticas

    São galáxias que têm uma forma esférica ou elipsoidal (parecida com um ovo). Geralmente são compostas por estrelas antigas, possuem pouco gás para formação de novas estrelas e poucas estrelas jovens. Algumas são gigantes com diâmetro de milhões de anos luz, e outras são anãs esféricas de difícil detecção.
    Alguns cientistas defendem que as galáxias elípticas são o resultado da fusão entre duas galáxias espirais, o que vai acontecer com a união entre a Via Láctea e a nossa galáxia vizinha, Andrômeda, daqui a cerca de 3 bilhões de anos. Acredita-se que o resultado dessa união será uma galáxia elíptica gigante.

Foto: NASA / ESA

       Galáxias Espirais

     São galáxias com forma e estrutura belíssimas. Possuem um núcleo com estrelas antigas rodeado por braços espirais que são o berço de estrelas jovens, por isso que os núcleos dessas galáxias têm uma coloração alaranjada e os braços uma tonalidade mais azulada, algumas são do tipo "Espiral Barrada", e são ainda mais belas. A nossa galáxia Via Láctea é uma espiral grande e massiva.

Foto: NASA / ESA

Galáxia espiral NGC 3031 localizada na constelação da Ursa Maior.

Foto: NASA / ESA

Galáxia espiral barrada NGC 1300 na constelação do Eridano.

    Galáxias Lenticulares
  São galáxias lenticulares têm uma forma intermediária entre as elípticas e as espirais. São parecidas com as espirais, possuem um bojo central mas nao têm braços espirais. São comumente encontradas em aglomerados de galáxias.

Foto: NASA

Galáxia lenticular NGC 3115 na constelação do Sextante

    Galáxias Irregulares

  Como o próprio nome sugere, são galáxias que não possuem uma forma definida,  não são espiraladas e nem elítpicas, sua forma é desordenada e indefinida. Normalmente essas galáxias possuem uma grande quantidade de estrelas jovens e possuem regiões com intensa atividade de formação de novas estrelas. Em geral não são galáxias gigantes, alguns cientistas acreditam que as galáxias irregulares são a 1ª fase da evolução de uma galáxia espiral ou de uma galáxia elíptica.

Foto: NASA / ESA

Galáxia irregular NGC 3034 na constelação da Ursa Maior.

 

TV Escola - Vídeos ABC da Astronomia : Galáxias

TV Escola - Vídeos ABC da Astronomia : Via-Láctea

Best-CG Bulcão Estúdio de Computação Gráfica - Vídeo: simulação de rotação de galáxia espiral.

Planetário Rubens de Azevedo

Conteúdo e manutenção do site : Prof. Dermeval Carneiro

Fortaleza - Ceará - Brasil